quarta-feira, 1 de outubro de 2014

Lições de uma Cortesã - Jenna Petersen - Júlia Histórico 1609

Não dei minha opinião porque não li ainda.






Londres, 1815

Todo homem adora um mistério...
Pressionados por chantagem a se casarem, e forçados pela família a consumar a união para que o matrimônio não pudesse ser legalmente questionado, Victoria e Justin concordaram em se separar depois disso, embora nenhum dos dois tivesse se esquecido da única noite de paixão que haviam compartilhado.
Nenhum homem faz uma mulher perder o controle, a menos que ela permita...

Cinco anos depois, Victoria foi forçada a voltar a Londres, disfarçada como uma célebre e requisitada cortesã, com o propósito de encontrar uma amiga desaparecida, evitando a todo o custo a proximidade de seu repentinamente inconformado e possessivo marido. Desta vez, no entanto, um breve contato não seria suficiente para Justin. Ele estava determinado não só a desvendar os segredos de Victoria, como também a reivindicar por inteiro a sua esposa, de corpo, alma e coração...



BAIXA AQUI



Caminhos da sedução - Diana Palmer - Série Homens do Texas 8 - Irmãos Tremayne 3



Sinopse:


Bela e inexperiente, Anna Cochran não era correspondida em sua paixão por Evan Tremayne, para que as virgens deveriam ficar protegidas de homens do seu tipo, um vaqueiro rude, que não saberia lidar com a delicadeza de uma jovem mulher. Mas Anna estava disposta a tudo para conquistar o amor desse solteirão encantador, e Evan sentiu-se encurralado. O que pretendia defender, afinal: a pureza de Anna ou sua vida de solteirão?


Temas: Fazendeiros e Cowboys, Mocinho mais velho, Mocinha Determinada, Mocinha Ousada, Mocinho Ogro, Ciumentos-Possessivos e Dominadores.


Comentário - CONTÉM SPOILERS (só leia se você não liga saber os acontecimentos antes de ler o livro)


Não sou fã da Diana Palmer. Quando é pra detestar um livro dela, detesto mesmo, mas quando é pra gostar, gosto demaaaais. É o caso desse livro, adorei! Tive uma série de reações: primeiro detestei o mocinho, depois o compreendi, achei a mocinha pegajosa e depois morri de dó dela. Eu gosto quando um livro consegue arrancar várias emoções da gente.

Pra resumir bem, o grande conflito do livro é: Anna, uma moça de 19 anos, apaixona-se perdidamente por Evan, um fazendeiro de 34. Ela é tão obcecada por ele, que vive o perseguindo e até virou motivo de piada na cidade. Evan a despreza totalmente, faz questão de evitá-la e deixar claro que ela é uma criança pra ele. Morri de dó dela, no começo pensei "Ela não tem amor próprio? Que pentelha!". 

Logo no início da história, o mocinho percebe que estava atraído por ela... "o quê? Eu atraído por uma adolescente? Estou ficando louco, preciso dar uma basta nisso". Então, para acabar de vez com a fixação da mocinha, ele vai à festa da mãe dela, acompanhado de uma ex!! Uma modelo que ele havia namorado há muito tempo. Na festa ele fez o maior teatrinho, não desgrudava da mulher e ainda a beijou na frente de todos. Ele não estava nem um pouco interessado nela, só queria que a atração pela mocinha passasse e que a mocinha se afastasse dele.

E ele conseguiu! A mocinha ficou tão chocada e decepcionada, que no mesmo momento começou a dar atenção ao amigo Randall e a tratar o mocinho com frieza. É aí que o livro começa a ficar bom! O mocinho fica tão incomodado com a frieza dela, que no dia seguinte arruma uma desculpa pra ir à casa dela, só pra ver se ela ia cair em cima dele de novo. Mas pra decepção dele, ela nem deu atenção. (Rááá, adorei! Ele baixou a bola).

A partir daí, acontece a maior batalha de ciúmes: de um lado o mocinho fica desfilando com a ex Nina pela cidade e do outro a mocinha tratando Evan com frieza e namorando o Randall. Os dois estavam infelizes, o mocinho se deu conta de que a queria mais que tudo e nenhuma mulher satisfaria seu desejo.  E tudo piora quando a mocinha aceita se casar com Randall! Achei infantil a atitude dela, mas coitada estava sofrendo muuuuuito.

Mas não era só a diferença de idade que impedia o mocinho de ficar com ela, a principal razão (como sempre) é um trauma do passado. Meninas, vocês não vão acreditar o motivo!!! O "problema" é que o mocinho é muuuuuito bem dotado! kkkkk


Quem não gosta de um mocinho com um pacote generoso? Mas Evan teve uma experiência traumática. Ele namorava uma moça que amava muito, e estava muito desejoso por ela. Ela era virgem e quando foram ter a primeira vez, ela ficou cho-ca-da quando o viu nu. Mas a coisa esquentou demais, o mocinho estava super excitado e não teve controle da situação. Apesar de a namorada empurrá-lo, gritar, etc, ele não conseguiu parar. Ela se machucou, caiu quebrou a costela. Ela detonou o mocinho e ele ficou marcado pela experiência terrível. Detestei a atitude dele, pra mim teve cara de estupro. Mas enfim, como a Anna era muito nova e virgem, ele tinha medo de machucá-la e deixá-la chocada com o tamanho do 'menino'. Por isso não queria assumir a atração que sentia por ela, e a desprezava. Porém tudo mudou quando ela decidiu se casar com outro.

 Só faltava um empurrãozinho para o Evan lutar pela mocinha e conquistar a confiança dela. E esse empurrão foi um assalto que a mocinha sofreu: ela foi espancada e entrou em coma! O mocinho ficou louco, a partir daí nada o impediu de correr atrás dela, nem o trauma dele, nem o noivo dela. Por fim os dois se casam.

Bom, se o mocinho achava que ela ia ficar com medo de fazer amor com ele, estava muito enganado. A mocinha além de tomar a iniciativa, foi ousada. "Atacou-o" enquanto ele dormia. Só não gostei que ele fugiu na noite da lua-de-mel, com medo de assustá-la. Mas na manhã seguinte, ela tirou a roupa e montou nele hahaha. O mocinho se libertou do trauma e foram felizes para sempre hihihi


O que não gostei:

- Fiquei morrendo de pena da Anna, quando o mocinho aparece com a Nina :( Por isso que classifiquei o mocinho como ogro, acho que ele foi cruel. Mas fora isso, ele não é tão ogro, principalmente quando cuidou dela no hospital.

- Só eu tenho raiva de vilãs confiantes demais? Quando a mocinha sabe se impor, tudo bem, mas não é o caso.

- Se o final fosse mais longo, seria perfeito. A gente espera tanto o momento da entrega total e ela só ocorre bem no finalzinho :(

O que gostei:

- Achei realmente emocionante quando a mocinha começa a dar uma fria nele.

- Adorei quando a rival da mocinha leva o troco.

- o tipo do mocinho. Ele é descrito como um moreno muito alto, muito grande, muito tudo. Adoooooro mocinhos assim, grandões e avantajados, principalmente quando o físico vem de um trabalho duro na fazenda...Oh my God!

"Era um homem muito alto, um verdadeiro gigante, de braços e pernas musculosos, largo tórax e quadris estreitos."




E apesar de o mocinho ficar provocando a Anna, chamando-a de adolescente, de adolescente ela não tem nada. Além do fogo (kkk), ela é descrita assim:

Anna Cochran com seus dezenove anos, era uma jovem verdadeiramente escultural: loira, olhos azuis, curvas acentuadas e pernas longas e bronzeadas. 

E em alguns momentos fala-se de suas curvas voluptuosas. 



MENINAS, a tradução está horríííível. Se fosse um livro fraco, eu teria largado nas primeiras páginas. Mas a leitura me envolveu, por isso aguentei essa péssima tradução. Mesmo não estando legal, vou compartilhar para quem queira ler. Se alguém tiver esse mesmo livro com uma tradução melhor, ficarei grata se me enviar.

Bejoca!


BAIXA AQUI








terça-feira, 30 de setembro de 2014

Chama de Amor - Nancy John - Fascinação 73


"Não adianta me tentar, Jayne. Sou imune a seus encantos", disse Duncan Stewart, olhando para a cunhada com seus olhos negros carregados de amargura e desprezo. Mas na mesma hora desmentiu com gestos o que afirmava com palavras: apertou-a fortemente nos braços, tomado por uma paixão intensa, e beijou-a com loucura. Jayne sentiu então que precisava salvar seu orgulho e fugir daquele homem cruel a qualquer preço, para não sucumbir de desejo, entregando-se a um amor não correspondido. Só não sabia que o belo e prepotente Duncan Stewart não iria deixá-la escapar tão facilmente...

Temas: Acidente, Amnésia, Cunhados, Falso Julgamento, Ciumentos-Possessivos e Dominadores, Mocinho Ogro

Comentário - CONTÉM SPOILERS! 

Meninas, eu adorei esse livrinho! 

Esse livro, de certo modo, me pegou de surpresa. Não sei se na primeira vez que li, não estava com muito atenção ou porque sou lerda mesmo, mas não me toquei quanto ao grande "mistério" da história.
Jayne acorda num hospital, após sofrer uma acidente de avião, no qual ela foi a única sobrevivente. Apesar de bem fisicamente, ela não se lembrava de nada, nem do nome. Logo ela descobre que saiu de Londres para Escócia, para se encontrar com o cunhado, Duncan Stewart.
Desamparada e com amnésia, ela vai pra Kilraven, a ilha onde o cunhado era o senhor absoluto. Desde o começo ela foi tratada com muita hostilidade por Duncan, ele acusava ela de ser interesseira, fútil e de ter levado o irmão à falência. (detalhe: o irmão dele, marido dela morreu de um acidente de carro, e ela não conhecia o cunhado, pois se recusava a ir pra onde judas perdeu as botas).
Desde o primeiro momento Duncan foi ogro com ela, mas um ogro fofo!  Porque apesar de falar palavras cruéis pra mocinha, logo de início fica claro que ele está caidinho por ela, impossível esconder! 
Eu achei até engraçado o conflito do mocinho: está louco pela mocinha, mas acha que ela é uma aventureira sem escrúpulos, por isso ele fica com raiva dele mesmo por estar atraído por ela.
É claro que aparece uma vilã megera, que não desgruda do mocinho e age como se já fosse a Sra. Duncan Stewart, mas em momento algum o mocinho demonstra interesse por ela (toma, bicha!). A mocinha se morde de ciúmes, e infelizmente fica boba e insegura perto da rival. Mas não é só a mocinha que sofre de ciúmes! Duncan fica possesso quando ela fala com o jovem médico e a impede de aceitar um emprego no hospital. Se ele a detestava tanto, por que não deixava ela ser independente e sumir da vida dele? hummm.
Logo nós leitoras ficamos tão confusas como o mocinho: como pode uma pessoa tão honesta e doce ter um passado tão sombrio? 
Gostei do rumo da história, no final (beeeem no final) descobrimos que as identidades foram trocadas! A verdadeira cunhada morreu no acidente e a Melissa (nome verdadeiro) é boa moça que havia viajado para assumir o cargo de veterinária na ilha. Imaginem a felicidade do mocinho, se já amava pensando o pior, depois ficou exultante de felicidade. Coloquei esse livro na categoria "Cunhados" porque mesmo eles não sendo, passaram a maior parte do livro pensando que eram.

O que não gostei:
- Detestei o esquenta-esfria da mocinha. Na melhor hora da pegação afastava o mocinho. Na minha opinião, ou se entrega ou não começa! 

O que gostei:
- Achei o mocinho adorável. Sim, ele foi ogro, mas ogro fofo! Ele já estava beirando ao desespero, coitado!


— Nunca tive problemas para satisfazer meus apetites sexuais. Mas o que sinto agora é diferente, vai muito além de um simples desejo animal. Estou tão sedento de você, que nunca vou me saciar. Uma vez só não vai matar a minha sede. Terei de voltar à fonte muitas e muitas vezes. E não quero implorar aos seus pés todas as noites. O casamento é a única forma que vejo para resolver meu problema. Eu lhe darei tudo o que você quer, e você me dará o que eu quero.
- Gostei do fato dele não ser milionário, bilionário, como 90% dos mocinhos. Ele vive bem na sua mansão, que é da família há séculos, mas é um trabalhador modesto, disposto a ajudar os mais desfavorecidos.

- Ameeeei o cenário! Há lugar mais idílico e romântico que a Escócia?



- Em dois momentos na história, mocinho aparece usando roupas típicas escocesas e tocando gaita de fole. Vocês podem até discordar, mas eu acho homem de kilt irresístiiiiiivel, pra mim não perde nem um pouco a masculinidade, é uma questão tradicional e cultural. 

Vocês também acham sexy??





Gerard Burtle lindo e goxtoso de kilt





Pra finalizar, é um livro fofo, leve, com clichês, mas que eu sempre releio. Deixe sua opinião!


BAIXA AQUI!







segunda-feira, 29 de setembro de 2014

A Indomada e o Sheik - Miranda Lee - Paixão ed. 5

Olá, queridonas! Vou compartilhar mais um livrinho de boy magia, ops, sheik magia. Liguem o ventiladores!!





Resumo:

“Charmaine é uma top model australiana que não suporta ser tratada como uma mulher-objeto. Muito menos por homens ricos e poderosos que pensam poder comprar tudo - principalmente amantes.
O príncipe árabe Ali de Dubar está mais do que decidido a ter Charmaine como sua convidada para um jantar a dois, mesmo que isso signifique ter de adquirir esse privilégio por meio de um leilão de caridade.
Após muitas ofertas e recusas, Charmaine e Ali dão início a uma disputa entre o prazer e o orgulho que começa em uma mesa à luz de velas e termina em cómodos mais confortáveis - e por muito mais tempo do que o planejado!
Mas será que Charmaine irá ceder a todas as exigências de Ali?”

Temas: Sheik, Meio artístico, Mocinho devotado, Possessivos e Dominadores.

Comentário -  CONTÉM SPOILERS

Charmaine é uma modelo linda e famosa que devido a alguns traumas, passou a desconfiar de todos os homens ricos e bonitos. Pra ela, todos só querem usar as mulheres, por isso ela foge deles. Num evento social, ela nota que o sheik irresistível não tirava os olhos dela, quando ele a aborda chamando-a pra jantar, ela dá uma fora  e diz que nunca sairia como um homem como ele (exagero dela, né? Julgou rapidinho sem conhecê-lo)

11 meses depois, a mocinha desfila num evento beneficente, leiloando um jantar com ela própria, para reverter o dinheiro pra uma instituição de leucemia. O sheik estava lá e arremata o jantar por 5 milhões de dólares, isso mesmo 5 milhões!

No jantar a mocinha foi muito fria, até chata. Já o mocinho não conseguia esconder o desejo e o encantamento. Mas ficou desapontado com a opinião precipitada e errada que ela tinha dele, por isso fez uma proposta irrecusável: doaria 500 milhões (meio bilhão!) pra que a mocinha passasse 5 dias com ele. Assim ele tentaria mudar a opinião dela e a seduziria.

Que tipo de homem se importa tanto com a opinião de uma mulher, que se dispõe a pagar meio bilhão pra tentar mudar a opinião dela? Isso não pode ser apenas desejo sexual. (E acontece só em livros, né?)

Separei alguns trechos que gostei:


Ali suspirou com a dura e fria realidade do quanto ter esta mulher lhe custaria. Ela valia a pena?
Quando ela levantou seus olhos incríveis do prato de entrada e os fixou sobre ele mais uma vez, seu corpo saltou de maneira selvagem e ele soube que valia cada centavo para que ele encontrasse a paz, para seu corpo e sua mente. Já estava farto dessa obsessão, ou paixão cega, ou o que quer que fosse de que ele estava sofrendo. Estava indo longe demais.
Nada durante este ano — nenhuma mulher ou atividade — havia sido capaz de afastar esta criatura de seus pensamentos. Seu desejo por ela estava além do desejo. Se o destino não tivesse posto aquele leilão no seu caminho, Ali não sabia o que teria feito. Raptá-la, talvez.

Quando ele pensa "o quanto ter esta mulher que custaria" ele não se refere ao dinheiro, mas sim à dedicação que ele tem que ter para descobrir os traumas dela e fazer que ela os supere.

Achei demais:

— Não deve se preocupar — disse-lhe quando ela continuou a olhá-lo com medo nos olhos. — Jamais machucaria você.
— Vossa Alteza é que sairia perdendo se o fizesse — disse ela atirando orgulhosamente a cabeça para trás e sacudindo aqueles cabelos esplêndidos. — Porque se me machucar, eu o mato.
— Não precisará — devolveu ele, pesaroso. — Se for tolo o bastante de machucá-la, eu mesmo me matarei.



Seus movimentos simplesmente lhe deram a imagem mental perfeita de sua ereção, que era de tal maneira formidável que deixou sua cabeça girando. Ele realmente poderia ser assim tão grande, tão grosso e tão duro?



É impressão minha ou ele não gostou da perseguida depilada?

Quando o olhar dele se dirigiu um pouco mais para baixo, sua barriga se contraiu. Ele olhava para seu púbis recém-depilado com cera e a desprezava por chegar a este ponto por sua carreira? Ou pensava que fizera isto por ele?
— Você é bonita demais por si só — murmurou ele com raiva. — E insolente demais.

Mais um trecho....

Quando elevou as pernas e enroscou-as em volta dele, ele gemeu. Ela também, sentindo a diferença imediatamente. Ele estava agora bem fundo dentro dela, preenchendo-a inteiramente, evocando uma percepção surpreendente da fusão de seus corpos. Deus sabia qual era a sensação quando ele começava a se mover.
Ela gritou quando ele começou a bombear para a frente e para trás, com cada movimento batendo a cabeça do pênis contra o colo do útero.
Ele parou mais uma vez.
— Estou indo muito fundo — ele disse.
— Não, não, está fantástico!
— Tem certeza?
— Completa. Não pare.

Só mais um, prometo!

Mal tocara o jantar no final. Ali comeu a maior parte, um pouco em lugares de seu corpo que à luz fria do dia a teriam chocado. 

Se eu colocasse todos os trechos que achei sensuais, esse post seria gigante. Pra resumir, foram 5 dias muuuuito ativos. Fizeram na cama, na mesa, oral, de quatro...por isso esse livro merece o:



O que não gostei:

-Achei o livro mais sensual do que romântico. O mocinho descobre que a ama logo, mas o romantismo aparece só no final.

- Penso que a mocinha poderia ser mais honesta consigo mesma e com o mocinho. Pra começar, ela foi bem chata e esnobe com ele. Depois quando a paixão explode e ela não consegue esconder, fica falando que ele "forçou", uma grande mentira, pois ela chegava a pedir mais. hmm safadinha.

O que gostei:

- No começo o mocinho não esconde que ele pega geral, que é fantástico na cama e blablabla. Não gostei disso. MAS ele se torna irresístivel, tratou a mocinha bem, com compreensão, não forçou nada, nem precisou, pois a mocinha estava super excitada. E ainda tem o detalhe de que ele ficou encantado por ela através de um comercial de tv e ela se tornou uma obsessão pra ele.


Mas não acho justo ficar tacando pedra na mocinha, porque ela foi chata, arrogante, etc. Ela tem muuuuitos motivos pra ser desconfiada dos homens: no passado, ela engravidou de um estupro, o cafajeste tirou fotos dela na cama e a filha morreu de leucemia. Não é pouco sofrimento, né?

Andei vendo a opinião de algumas leitoras sobre esse livro; umas amaram, outras odiaram. Mas o que me incomodou foi opinião sobre a mocinha. Gente, a coitada foi estuprada por um playboy ricão, como é que ela não se tornaria cínica e desconfiada com os homens? O que me intriga é que há mocinhos perversos, que por causa de algum trauminha no passado (uma mulher que o rejeitou, por exemplo) se tornam ogros terríveis que humilham e tratam mal a mocinha. Então por que tem que ser diferente com as mocinhas? Ela sofre pra caramba e ainda tem que ser a miss simpatia e aceitar os convites dos homens? Depois que soube do que se passou com ela, achei que as atitudes chatas foram justificadas.

E qual é a opinião de vocês sobre isso? Tô curiosa, quero saber.


Sobre a descrição física, o mocinho é moreno, alto e muuuuito sexy. Fico em dúvida entre esse modelo brasileiro e o ator italiano Rauol Bova. Que acham?




Quanto à mocinha, no livro inteiro só se fala da beleza dela, que é uma das mulheres mais sexies da Austrália...mimimi, blablabla. A modelo Kate Upton me lembrou muito ela






                                                                  BAIXEM AQUI




Mistérios do Oriente - Penny Jordan - Sabrina Extra Edição de Férias


Que tipo de mulher seria atraente para um oriental?, cismava Clara. O que seduziria Raul D'Albro, aquele moreno de fascinantes olhos verdes, que se fazia passar por seu marido? Sedas finas, brocados e véus diáfanos no rosto, que a fizessem parecer submissa e obediente como as muçulmanas? Não os usaria jamais! Nada faria para seduzir aquele homem, ainda que estremecesse de amor a cada carícia que ele lhe fizesse! 

Temas: Sheik, Casamento de Conveniência, Mocinho Ogro, Possessivos - Ciumentos/Dominadores.

Comentário

Meninas, esse resumo do livro não ajuda em nada, né? Então vou fazer um resuminho bem resumido, rsrs.

A mocinha Clara ganhou da madrinha uma estadia num hotel de luxo em Londres de presente de aniversário de 22 anos. Uma coisa muito mirabolante aconteceu no hotel - envolvendo ela e uns orientais - coisa que só acontece em livros mesmo. Ela salvou o sobrinho bebê de um sheik árabe. O Sheik disse que o sobrinho corria perigo, pois uma facção queria matá-lo, então pediu pra Clara participar de um plano em troca de uma fortuna. Ela aceita porque queria dinheiro para pagar os estudos do irmão de 12 anos. O plano era o seguinte: Deixar que os inimigos pensassem que o bebê estava morto,  e casar-se com Raul D'Albro, o sobrinho do sheik, fingindo que o bebê era filho dos dois.

O mocinho é super ogro no começo e na metade do livro. Ele tratou super mal a mocinha, julgou, disse que o tipo dela não o traía, nem despertava desejo e que se ele pudesse escolher nunca se envolveria com uma europeia. Na verdade o mocinho é traumatizado, ele é mestiço, seu pai é francês e a mãe era árabe. Os dois se separaram e o mocinho cresceu acreditando que o pai maltratou a mãe, quando ele era criança foi desprezado por ser mestiço. Por isso prometeu a si mesmo que só se casaria com uma moça árabe, dócil e obediente. Deixou claro pra mocinha que não pretendia levá-la pra cama, que seria casamento de aparências, que achava ela interesseira, etc, etc.

Apesar de toda essa repulsa que ele tinha, morreu de ciúmes achando que Teddy, irmão dela, era um amante. E a mocinha não contou a verdade.

Acontece que a atração entre eles era muito forte e ambos acabaram se entregando. O mocinho fica chocado quando descobre que ela era virgem e exige que os dois se casem pois ela poderia estar grávida (eles não eram casados ainda, fingiam ser).

Nessa hora me dá raiva de mocinhas "cegas". O homem disse que a queria e faria de tudo para tê-la com ele (sim, o mesmo homem que antes disse que ela não o atraía), disse que estava TORCENDO para ela estar grávida para que isso a prendesse a ele! Fala sério, só um cara muito apaixonado falaria isso né? Se ele tinha tanta aversão a europeias, porque de repente quer a mocinha a todo custo? Nenhum homem quer casar e ter filhos com uma mulher, se não tem sentimentos por ela.

"Torci para que minha semente frutificasse em seu ventre e que nascesse o filho que a manteria a meu lado..."

Não vou entrar em muitos detalhes do final. Basta dizer que o mocinho mooooorree de ciúmes do suposto outro amor dela, e ela também ficam com ciúmes da prima dele, com quem ele deveria casar, mas não casou porque se recusou a mudar de religião. Essa vilã aparece, e é uma megera. Achei o final emocionante...tem rapto da mocinha, uma declaração linda do mocinho:

Amar Nádia, que é isso, Clara? Nádia poderia ter sido minha esposa se eu mudasse de religião. Mas fui orgulhoso demais para concordar com isso e por algum tempo supus estar triste porque a religião nos separava. Mas vou lhe dizer uma coisa, Clara: se fosse religião que me impedisse de ganhar o seu amor, eu me converteria dez vezes para não ficar sem você

Só acho que o final poderia ser um pouco mais detalhado.

Achei nosso casal. Poderia muito bem ser esse aí. O mocinho é descrito como uma sexy mistura de francês com árabe. E a mocinha é uma loirinha "frágil". Esse modelo é de matar, né??? É o David Gandy




BAIXA AQUI!




domingo, 28 de setembro de 2014

Um hotel nas Bermudas- Elizabeth Graham - Sabrina Extra Edição de férias




A primeira vez que Serena se entregou a um homem foi com toda a paixão e alegria de seus vinte anos, com toda a doçura de um coração apaixonado. Mas o caso durou pouco. Apenas o tempo de saber que Benedict Ramsey era casado. A dor da desilusão foi tão grande que por muito tempo ela se fechou para o amor. Somente David Storey conseguiu fazer renascer sua esperança de felicidade, seus sonhos de mulher. E seria com ele que se casaria... se Benedict não tivesse voltado para atormentá-la, fazê-la desejar sentir novamente o calor de seu corpo sedutor.

Temas: Reencontro, Comprometido com outro, Mocinha determinada,  Mocinhos que sofrem.


Comentário


Essa história lembra a minha última postagem "Aventura no Caribe", lembra que eu falei que não era muito original? Pois bem, nos dois livros o mocinho é casado, mas ama perdidamente a mocinha. A mocinha descobre e o abandona. Anos depois se reencontram em um lugar paradisíaco.

Neste livrinho, Benedict Ramsey teve um romance com Serena (uma estudante de arte). Estavam muito envolvidos, quando ela descobre que ele era casado....e havia se casado por interesse com a herdeira de um banco. A mocinha fica chocada, faz o escarcéu e abandona o mocinho. 

Seis anos depois, a mocinha estava morando em Bermudas. Era dona de um hotel, que na verdade era a mansão que herdou do pai. O pai havia morrido no dia em que ela descobriu a verdade sobre o mocinho, ela voltou para Bermudas descobriu que o pai estava falido, então o jeito foi pegar um empréstimo e transformar a mansão num hotel. Assim teria uma fonte de renda, e não venderia a mansão.

Ela estava noiva de um rapaz lindo, seu hotel fazia sucesso, estava mais linda e madura, porém seu coração tinha virado um bloquinho de gelo. Após 6 anos de trauma, o mocinho se hospeda no hotel dela acompanhado da....filha! A esposa dele havia morrido há uma semana. Serena ficou estarrecida. Mas ao invés de agir com nervosismo, foi senhora de sim, tratou-o com frieza. 

Não há nenhuma dúvida que o mocinho sempre a amou, quando tiveram o romance, enquanto estiveram separados e ao reencontrá-la. Ao contrário de muitos mocinhos, ele não é nadica frio e arrogante. É um pai super carinhoso, demonstra os sentimentos pela mocinha. Quando ela está com o noivo ele demonstra tristeza e ciúmes, quando estão juntos ele demonstra desejo, carinho, amor.

Gostei da determinação da mocinha, mas não gostei nada do jeito que ela tratou a filha de 8 anos dele. Foi muito fria, até a menina percebia. Não gostei nada, pois a menina estava precisando de carinho e atenção devido a morte da mãe, e a mocinha age com desdém.

Há um momento em que finalmente ela deixa a frieza de lado e os dois se pegam no quarto. Então ela percebe que ainda o ama, deseja e não pode se casar com outro. O mocinho desde o início tenta conversar com ela sobre o passado, quer explicar tudo pra ela, mas ela não quer nem saber. Não vendo saída, ele joga a bomba: foi ele quem emprestou dinheiro pra ela fazer o hotel. Todos esses anos ele esteve preocupado com o bem estar dela, mesmo de longe. Com isso a mocinha decide ouvi-lo e fica sabendo sobre o casamento dele, o coitado havia comido o pão que o diabo amassou. Seu maior desejo era casar com a mocinha, mas ele tinha um dever com a esposa...a esposa era esquizofrênica, se ele a deixasse ela ficaria só no mundo.

E ainda diz que ela foi o único caso extraconjugal dele. Que antes de conhecê-la, ele até tinha seus desejos, mas nunca teve coragem de trair a esposa, mas quando viu Serena, foi incapaz de controlar. E mesmo quando ela o deixou, ele sonhava um dia poder ficar com ela. Apesar da "pulada de cerca" eu achei muito honrado da parte dele. Imaginem: um homem lindo e maravilhoso casado com uma psicótica que faz da sua vida um inferno, mesmo assim não a abandona, pois ela não tem ninguém. Na minha opinião, ele foi muito altruísta, e ao mesmo tempo sofreu demais...pois amava a mocinha, convivia com uma louca e de repente descobre que sua amada estava noiva! Por isso marquei esse livro como "mocinhos que sofrem", isso é ou não é sofrer?

Só no finalzinha a mocinha para de ser fria com a menina. É até bonitinho quando elas finalmente se entendem.

Outra prova da incrível maturidade da mocinha, é quando o sogro do mocinho aparece que fala só coisas horrorosas do genro (pois ele acreditava nas mentiras da filha). Uma mocinha boba teria acreditado, ficado com raiva do mocinho, fugido...mas para minha surpresa, Serena defendeu o mocinho com unhas e dentes, jogando na cara do velho que ele fingia que a doença da filha não existia. Ponto pra Serena!

Dá muito gosto quando um casal que seeeempre se amou, finalmente supera tudo e fica junto <3





O Renascer de uma Paixão - Alexandra Sellers - Momentos Íntimos 147 [atualizado]


Sinopse:

Você é minha, e jamais pertencerá a outro homem!

Já ia longe o tempo em que o sheik Jafar ai Hamzeh pensara em Lisbet Raine como a futura mãe de seus filhos... Quando ela partiu inesperadamente de sua vida, sem dar explicações, Jafar sentiu-se traído. Inconformado, pôs em ação um plano de vingança: reconquistar Lisbet e trazê-la de volta para seus braços, porém tratando-a como uma amante, oferecendo-lhe apenas paixão carnal. No entanto, ao ver a vida de Lisbet ameaçada, Jafar começou a ter dificuldade para levar adiante seu plano. Percebeu então que seria capaz de correr qualquer risco para não perdê-la...


Temas: Reencontro, Mocinho Devotado, Sheik, Atriz, Ciumentos-Possessivos-Dominadores, Meio Artístico


  contém SPOILERS:


Simplesmente AMO esse romance! Que Alexandra Sellers é a rainha dos sheiks, todo mundo sabe, mas ela estava inspirada quando escreveu esse.
Aqui temos um sheik sexy, apaixonadíssimo, possessivo, romântico e que deixou bem claro para mocinha que queria coisa séria com ela, nada de casos, sim casamento! Enquanto muitas mocinhas ficam desesperadas por uma declaração de amor, a Lisbeth fugiu desse amor. Ficou "sufocada" e deu um pé na bunda do Jafar (que nome sexy!). A Lisbeth é linda, é atriz e só pensa na carreira, também amava o Jafar, mas priorizou a carreira. Pouco tempo depois, ela é chamada pra estrelar um filme na terrinha do sheik sexy!  Não foi por acaso, claro. Tudo não passou de um plano do Jafar para trazê-la de volta. 
Mas se ela esperava encontrar o mesmo Jafar, quebrou a cara! Encontrou um playboy frio que só queria ter um caso com ela. Nesse momento a mocinha caiu na real e percebeu que a coisa que ela mais queria era ficar com ele pra sempre, mas como fazê-lo mudar? 
No final, temos uma linda surpresinha!

O livro tem algumas partes tediosas, mas no geral vale a pena ser lido!

Jafar fez uma das declarações mais linda que já vi (detalhe: no início do namoro):

Olharam as estrelas e compararam sua palidez quando confrontada com o firmamento de Barakat.

- Certa vez, quando mais jovem, eu estava com meu avô, quando ele examinava um lote de diamantes. Ainda posso ver essas pedras caindo sobre a almofada de veludo negro, sobre a qual meu avô se sentara. Os diamantes soltavam chispas, ofuscando minha visão.

-Hum...

-Me lembro que queria tocá-los. Então meu avô os colocou sobre a palma de minha mão. Aquele momento foi de suprema alegria.

- Gostaria de saber porque você ficou tão impressionado.

- Porque achei que estava tocando as estrelas, Lisbeth. É assim que parecem as estrelas do meu país: diamantes. Acreditava que vovô havia trazido as estrelas do céu. Foi um momento mágico, de puro êxtase.

Lisbeth se emocionou por aquela imagem. Virou-se e olhou para o firmamento londrino.

- Jamais senti algo semelhante até hoje - sussurrou ele, acariciando-a-  Até este instante não tinha conseguido tocar as estrelas novamente.


Olha que fofo, ele confessa que chorou por ela;

"Duvido que tenha mudado tanto, Lisbet. Tenho ainda em meus ouvidos seus suspiros e gemidos de amor. Ouço-os em meus sonhos, mesmo hoje. E houve ocasiões em que acordei chorando, ao constatar que você não estava ao meu lado. Quer mesmo que eu acredite que, para você, meu carinho é flagelo?"

Esse livro tem umas cenas calientes. O Jafar frisava bem que o prazer dela estava em primeiro lugar; a missão dele era saciá-la completamente! 

A mão dele tocou o ventre que a luz da lua tornava prateado, assim que notou que Lisbet chegava ao clímax. Então, parou de novo. Os cotovelos de Jafar mantinham-lhe as pernas separadas, abertas para seus olhos e beijos. Lisbet quase desfalecia, tão excitada estava, aguardando que ele completasse o que começara.
Jafar se inclinou mais um vez...







BAIXA AQUI, QUERIDA!