quarta-feira, 24 de dezembro de 2014

Armadilha da Paixão - Hannah Howell - Bestseller 145


Texas, 1857
PARA CONQUISTAR UM CORAÇÃO...
Antonie Ramirez sabe cavalgar e atirar melhor do que a maioria dos homens. Agora, ela está de volta ao Texas para cumprir o derradeiro desejo de seu pai: encontrar o fazendeiro chamado Royal Bancroft e recompensá-lo por ter salvado a vida deles anos antes.
Royal Bancroft não sabe quem está por trás dos fora-da-lei que estão tentando afastá-lo de sua fazenda, mas ele prefere lutar até a morte do que perder suas terras. No entanto, com a irmã e o irmão sequestrados, Royal sente a derrota mais próxima do que gostaria... Até que uma linda e corajosa jovem de cabelos dourados, com uma incrível habilidade para manejar armas, entra em sua vida...


Antonie usa uma carapaça para proteger seu coração machucado, e do momento em que a conhece, Royal sabe que, se tentar domar aquela mulher, aniquilará sua natureza livre. Em vez disso, ele deixará que ela cavalgue a seu lado, lute com ele por um futuro e finalmente venha para seus braços como uma mulher apaixonada...


TEMAS: Clássicos Históricos, Fazendeiros e Cowboys, Mocinhas Determinadas, Mocinhas Ousadas, Ciumentos-Possessivos e Dominadores, Gravidez

Comentários - CONTÉM SPOLERS

PARA TUDO! Que livro é esse? 
Já comentei que os Clássicos Históricos não são minha leitura favorita, leio pouquíssimo, mas preciso urgente ler mais livros da Hannah Howell. Fiquei totalmente envolvida com essa história, queria ler rápido pra ver o final, mas dava umas pausas com dó de terminar logo. Achei um romance diferente, ousado, com personagens cativantes. 
A mocinha, Antonie Neumann, cresceu no meio de homens perigosos, pistoleiros. Quando tinha 9 anos seus pais foram assassinados, então Juan Ramirez, o pistoleiro mais temido e procurado do Texas, se compadeceu por aquela garotinha tão linda e resolveu criá-la. Desse modo, Antonie cresceu vagando com um bando de homens perigosos (apenas homens) e se tornou uma moça corajosa e atiradora melhor que muitos homens.
O mocinho, Royal Bancroft, é um fazendeiro muito bem sucedido que vivia no rancho com seus 3 irmãos mais novos. Um dia quando estava num bar acabou salvando a vida de ninguém mais ninguém menos Juan Ramirez e sua filha de 13 anos, Antonie.  Juan prometeu que um dia pagaria a dívida. 
Mesmo Antonie tendo apenas 13 anos e se vestindo com roupas masculinas, Royal ficou encantado por ela, imaginando como ela seria quando estivesse mais velha.
Sete anos se passaram e Juan Ramirez morreu. Mas antes de morrer, fez Antonie jurar que pagaria a dívida a Royal. E mais do que nunca ele precisava de ajuda, pois o bando de Raoul (pior inimigo de Juan) planejava atacar o rancho a mando de um amigo da família de Royal, portanto a missão da mocinha era: revelar pra Royal que foi o bando de Raoul que matou seus pais, não foi Juan como ele pensava; proteger a família Bancroft até descobrir quem era o "amigo" que queria prejudicar o mocinho e por fim matar Raoul.
E assim Toni vai para o rancho na companhia de seus inseparáveis amigos e guarda-costas Oro e Tomás Degas, gêmeos mestiços que haviam crescido com ela. A caminho do ranho, se deparam com o sequestro dos dois irmãos mais novos de Royal: Patricia de 18 anos e Justin de 20. Matam os homens de Raoul, salvam os irmãos e seguem viagem pro rancho.
Quando o mocinho se depara com Antonie após 7 anos, mais linda que nunca, fica chocado. E mais chocado ainda quando ela tasca-lhe um beijo na frente de todos os convidados do jantar, inclusive da jovem pretendente dele. Mas ele retribuiu muito animado.
Após o choque, o mocinho fica sabendo de tudo: do sequestro dos irmãos, de que era alvo do bando de Raoul e também que havia algum amigo traíra de olho nas suas terras. Assim, Antonie e os irmãos Degas ficaram instalados no rancho para proteger a família e terminar de vez com o perigo.
Desde o começo a tensão sexual entre Toni e Royal é muito grande e não demora para os dois fazerem amor...até o fim do livor os dois ficam num fogo só, fazendo amor em toda oportunidade e vivendo como se fossem um casal.
Antonie é a mocinha mais diferente que já vi. Ela era virgem (apesar de tudo mundo pensar o contrário) mas tinha uma ousadia muito grande, o prêmio de mocinha beijoqueira vai pra ela, pois beijou deliberadamente a maioria dos homens do livro hahaha Beijou Oro, Tomás e os dois irmãos do mocinho. Por essa atitude inocente e tentadora ao mesmo tempo,  a mocinha parece mais uma Lolita.

Paralelamente há outra história de amor, entre Oro e Patricia, irmã caçula de Royal. A moça se apaixonou por Oro e estava disposta a conquistá-lo, mas o rapaz faz de tudo pra afastá-la, até finge ter um relacionamento íntimo com Toni, o que deixou Royal com raiva e morrendo de ciúmes. O amor entre Oro e Pattie era impossível, pois Oro era mestiço e naquela época tanto o mestiço como a pessoa que se envolvesse com ele seria brutalmente perseguido pela sociedade. Essa historinha de amor paralela é muito bonita e me deixou até comovida, morrendo de dó do casal.

Sobre Toni e Royal, eles se amam mas ainda não se deram conta disso. Ele teme que a paternidade dela (filha de um pistoleiro) possa atrapalhar o relacionamento deles e ao mesmo tempo ele demora a  se dar conta que a ama. Já Toni tem medo que ele a veja apenas como um caso passageiro, ela achava que ele iria se casar com uma dama rica e sofisticada. Por isso ela escondeu a gravidez.

Em meio ao tórrido caso de amor, acontece um verdadeiro bang bang. Os homens de Raoul apareciam sempre pra tentar matá-los, mas o melhor mesmo são as cenas finais, quando Toni finalmente fica cara a cara com o inimigo. Eu fiquei super tensa, mesmo sabendo que a mocinha vai sobreviver, é impossível não ficar nervosa com as cenas de tortura. Após o resgate épico, Toni e Royal se casam, mas ainda não haviam se declarado. Mesmo depois do casamento, ainda acontece um fato emocionante que coloca a vida de Royal em perigo, ou seja, o livro é aventura e emoção do começo ao fim!

O QUE NÃO GOSTEI:

- Bom, eu ia dizer que adorei tudo no livro, mas aí lembrei que tive uma raivinha do mocinho, pois ao invés de ele dar um fora na pretendente, ele ficava enrolando. Fora isso, gostei de tudo.


O QUE MAIS GOSTEI:

- A mocinha é o melhor que há no livro. Apesar de a história se passar em 1800 e bolinhas, Toni é muito moderna pra época. Pra começar, ela é super corajosa, atira e cavalga melhor que muitos homens. Se veste com roupas masculinas sem perder a feminilidade e a sensualidade. Numa época cheia de frescuras, onde as mulheres eram como bibelôs que não tinham liberdade pra nada, Toni só tinha amigos homens com quem ia pra bares, bebia, beijava....uauuuuu dá pra imaginar isso? Se hoje em dia ainda há preconceito com mulheres liberais, imagine naquela época. Também adorei a entrega da mocinha, ela se envolveu sem pudores com Royal, deixando extravasar seus desejos, sem hipocrisia. Olhem esse diálogo entre Toni e Patrícia:


— O que tem nessas caixas que você empilhou no balcão? — Antonie quis saber, enquanto a costureira ajustava o vestido a seu corpo.
— São roupas íntimas, anáguas, camisola... — Patricia respondeu.
— Para que vai comprar uma camisola? Só para que seu marido acabe arrancando-a na noite de núpcias? — Antonie riu diante da expressão chocada e constrangida de Patricia.
— Pois acho que você também deve comprar uma, Toni. Vai ficar linda vestida em rendas e laços. Além disso não é correto dormir nua.
— Tenho certeza de que Oro vai fazer com que mude de ideia — Antonie provocou.
— Pare de dizer bobagens — Patricia protestou, sem conseguir conter o riso.
— Para ser sincera, não preciso usar uma camisola se estiver dormindo sozinha, e se estiver acompanhada, não preciso de camisola da mesma forma, não? — Ela trocou um olhar malicioso com a costureira. — Não vou comprar uma roupa que espero que seja arrancada do meu corpo.
— Arrancada? — Patricia fitou-a, boquiaberta.

— É claro, chica, pois espero que o homem esteja tão ansioso que mal consiga esperar. — Ao perceber que ela estava quase desistindo da camisola, emendou: — Mas uma moça deve usar uma bela camisola na noite de núpcias, sobretudo se nunca se deitou com um homem, ou se nunca dormiu nua, é claro.

- O mocinho também é adorável! Ele trata Toni super bem e apesar de ela ser tão diferente das damas que ele conhece, ele gosta do jeito dela e não pede que ela mude (ao contrário de tantos outros mocinhos de livros).
- Quem gosta de mocinhos ciumentos e possessivos vai adorar o Royal! Gente, que hômi ciumentooooo
- O enredo do livro é MUITO bom. 1º temos a mocinha que foi criada por pistoleiro, 2º há o mistério de quem quer acabar com a fazenda do mocinho, 3º A questão do preconceito é muito abordada, principalmente quando Oro se envolve com Patricia, 4º o esperado confronto entre Toni e Raoul.
- Tanto o mocinho como os irmãos dele são maravilhosos, pois são pessoas totalmente sem preconceitos, enquanto toda sociedade desprezava os mestiços, Royal e seus irmãos aceitaram Oro na família de braços abertos.
- Eu achei a história de Oro e Patricia linda!! No começo Patie era uma mimadinha, mas amadurece muito. Os dois enfrentaram os preconceitos sem deixar o amor abalado. A discriminação que Oro sofre é de cortar o coração.

Enfim, eu AMEI essa história. Se você gostou dos meus comentários, corre pra ler porque o livro é bom demais!

BAIXA AQUI




quinta-feira, 11 de dezembro de 2014

Um amor, uma ilusão - Carole Mortimer -Sabrina 328


Loris não sabia o que fazer para sair da confusão em que havia se metido. Estava perdidamente apaixonada por Grant Montgomery, um homem frio, prepotente e, ainda por cima, noivo de outra mulher! E ela, inocente, havia se entregado de corpo e alma a esse homem sem coração, que nem sequer a respeitava! A verdade é que Loris tinha adorado a experiência. Mas não podia continuar ali, naquela cidadezinha do interior, entregue

à humilhação e à mágoa. Não podia continuar revivendo a todo instante a lembrança de ter estado nos braços de Grant! Melhor ir embora. Depressa. E para sempre!

Temas: Falso Julgamento, Mocinha determinada, Fazendeiros e Cowboys

Comentário - CONTÉM SPOILERS

A Carole Mortimer é uma autora que escreve bons livros, já li muuuuuuitos dela. Essa história, na minha opinião,  é bem envolvente e fofa.
Loris é uma estudante de arte de 22 anos muito amiga de Mark, um rapaz rico também estudante de arte. Mark estava apaixonado por Diana, melhor amiga e companheira de apartamento de Loris. Após a insistência do amigo, ela topa passar 3 semanas na propriedade da família dele, para conhecer o fabuloso atelier e passar um tempo se dedicando às pinturas.
Quando chegou à cidadezinha, achou um cachorro imundo e o pegou para si. Ao chegar na bela propriedade dos Montgomery, não foi recebida muito bem por Grant, o irmão mais velho, e Mandy, irmã mais nova. Ambos ficaram horrorizados com o cachorro e não recepcionaram Loris muito bem.
De imediato a mocinha ficou caída por Grant e ele tambem super atraído por ela. Mas ela concordou fingir ser namorada do Mark (não me perguntem o motivo, pois não entendi a razão dessa farsa) e teve que conviver com o sarcasmo e desprezo do mocinho, apesar de estar caidinho por ela também.
Na história também há uma rival, Valéria, namorada de Grant. Em alguns momentos gostei da personalidade forte e destemida de Loris, ela não abaixava a cabeça pra rival. 


—  Assegurei que todos aqui se desdobraram para que eu me sentisse bem-vinda a esta casa.

Grant se controlava a muito custo.
—  Fico contente que se sinta assim.
Um lampejo de vingança iluminou os olhos azuis de Loris.
—  De fato, ontem à noite você foi muito amável comigo, preparando-me aquele cafezinho. E foi muita gentileza sua...

—  Grant? Valéria alarmou-se.
... não se importar com meus trajes pouco adequados, já que eu estava só de camisola continuou Loris, com cara de inocente.
No começo fiquei um pouco encabulada, mas você logo me pôs à vontade e me fez compreender que, afinal, ambos somos adultos.
Loris disse tudo com um olhar de desafio e, satisfeita, percebeu que levara Grant ao limite máximo da paciência.

Já dissera o suficiente para que ele entendesse que ela não se deixaria humilhar. Mesmo assim, resolveu dar um arremate ao discurso:

—  Tenho certeza de que você já viu muitas mulheres em trajes bem menores que o meu...e enviou-lhe um sorriso angelical.

—  Grant! Valéria estava furiosa.

Nesse trecho, a mocinha se refere à cena da noite anterior que ela estava só de camisola na cozinha e o mocinho tascou-lhe um beijo, então ela joga umas indiretas na cara da rival, pra humilhar o mocinho. Achei essa atitude muito ousada!!
Não demora muito para os dois não conseguirem ficar longe um do outro. Achei algumas partes bem sensuais, sem apelação, quando eles quase fizeram amor em cima do feno.

O ponto polêmico desse livro é o cachorro que a mocinha adotou, que ela deu o nome de Sugismundo (kkk q nome!). Ela é tão obcecada por esse cachorro que protagonizou cenas IRRITANTES, nossa como tive raiva dessa mulher! 
Algum cachorro de rua estava matando o rebanho de ovelhas de Grant e a mocinha achava que era o Sugismundo (mas não comentou a suspeita com ninguém). Então ela ouviu o Grant falando que teria que matar o cachorro pra não ter prejuízo. O que a imbecil da mocinha faz? Fala coisas horrorosas pro mocinho, dizendo que o odiava e que ia se casar com Mark, mas poderia continuar amante dele, se ele quisesse. Detalhe: ela disse tudo isso após uma linda noite de amor. Grant ficou arrasado e não quis saber mais dela. Nossa que raiva eu tive! Quando ela descobre que o cachorro assassino não era o dela, ela fica chocada e vai pedir perdão pra ele, mas ele não a aceita de volta.
No final, é ele que não aguenta e vai atrás dela.

O QUE NÃO GOSTEI

- Pra mim o que estragou um pouco a história foi a atitude da mocinha quando se referia ao cachorro. 1º ela era hóspede mas levou um cachorro rabugento sem permissão. 2º Quando o dono do cachorro aparece pra buscá-lo, ela briga como o mocinho culpando ele! (coitado do Grant!) e 3º acaba a relação por causa do cachorro.

O QUE GOSTEI

- Gostei bastante do Grant. Ele fica dividido no conflito: amar ou desprezar...já que ela era supostamente sua cunhada.

- Apesar da atitude detestável da mocinha por causa do cachorro, ela também tem seus pontos positivos: responde o mocinho a altura, não se deixa intimidar por ninguém, não fica diminuída pela rival e se entrega totalmente ao mocinho...quando ele beijava ela correspondia e ia até o fim. Aliás, eles foram até o fim...

O famoso cachorro da mocinha, um pastor inglês. Muito fofo!!


BAIXA AQUI




Resgate Fatal - Margaret Way - Sabrina 602

Imagem do site Adoro Romances

Mergulhada num sono agitado, Liane sonhava que os braços poderosos de Julian erguiam-na da cama para aconchegá-la junto ao peito. "Eu preciso de você, Liane. Quero amá-la, agora!“ Ela sorriu num aceite mudo, mas só quando lábios muito reais tocaram os seus sofreu o choque da realidade. Então, não era um sonho. Julian Wilde, seu ex-marido, invadira seu quarto e a envolvia em sedução! Liane teria de lutar se não quisesse cair em uma nova armadilha!

Temas: Reencontro, Falso Julgamento, Casamento Desfeito, Mocinho Devotado, Ciumentos Possessivos e Dominadores

Comentários - CONTÉM SPOILERS

O resumo desse livro não ajuda em nada, né? Então vou deixar vocês a par de como é a história, resumindo em minhas palavras:

"Liane é uma jovem muito bonita que se casou Julian Wilde, um lindo moreno, mais velho, milionário, viúvo e pai de um menininho. O casamento deles foi um sonho, ela era uma verdadeira mãe para o menino e os dois se amavam muito. Mas a cunhada dele (irmã da falecida esposa), começou a colocar veneno, dizendo que ele era culpado pela morte da irmã e que era um mulherengo. Então apareceu uma mulher afirmando que Julian a seduziu e ela estava com o coração despeçado. Sem pensar duas vezes (e sem deixar o marido se explicar), Liane o abandona e exige o divórcio.
Dois anos depois, o filho dele é sequestrado e ela vai prestar um apoio pra ele. E assim é o reencontro dele e como começa a história."

Bem, como esse resumo deu pra ter uma ideia de como é a história, né? E também deu pra notar o quanto a mocinha foi imbecil.
Se o seu marido é um cara lindo, que te ama, te trata como uma rainha, nunca deu motivo de suspeita, você vai acreditar na palavra de uma mulher qualquer que você nem conhece? E pior, sem dar ao marido o direito de defesa! Gente, achei ridícula a atitude dela, mais imatura impossível. Afinal, tinha um monte de mulher interesseira e invejosa de olho no marido dela...em quem ela decide confiar? Nas periguetes Affffff
Julian ficou morrendo de ódio dela e com razão, pois ele nem teve oportunidade pra argumentar.

Quando o filho dele foi sequestrado, foi graças a uma dica da mocinha que eles conseguiram resgatar o menino. E apesar de o mocinho tratá-la muito mal quando se reencontraram, logo ele estava se declarando pra ela de novo e pedindo que eles voltassem. O filho dele também implorava pra mocinha voltar.

Liane aceitou passar uns dias com o menino numa casa de praia, pra ajudá-lo a superar o trauma. Era evidente que os Julian ainda a amava e estava doidinho por ela. Mas ainda havia alguns problemas:

- A cunhada cobra do mocinho tentando colocar veneno. E não desgrudava do casal.
- E o chefe cinquentão da mocinha que era apaixonado por ela. O mocinho morria de raiva e de ciúmes, era só tocar no nome do cara pra ele ficar fora de si.
- Também havia a desconfiança dos dois lados: o mocinha ainda era ressentido com ela e ela ainda desconfiava que ele a havia traído.

Os dois superam tudo isso e se casam e no final ela descobre que estava grávida.

O QUE NÃO GOSTEI:

- A única coisa que não gostei foi a injustiça que Liane cometeu com Julian quando se separaram, preferindo acreditar na mentira dos outros.

O QUE GOSTEI:

- O mocinho é do tipo que amo: super apaixonado, possessivo, carinhoso, que mesmo tendo raiva da mocinha, não consegue esconder os sentimentos.

- Liane foi tola no passado, mas finalmente cresceu! Quando ela reencontra o marido, começa a enxergar que a cunhada dele é uma víbora e que ela foi boba por ter acreditado nela. Achei muito legal a cunhada tentando fazer um monte de intriga e a mocinha nem dava bola.

- Pra quem gosta de cenas de ciúmes, nesse livro tem vááárias...O mocinho é super protetor e ciumento.

- Ao contrário da maioria dos livros, o mocinho não fez chantagem pra mocinha ficar. Ele pediu, ela aceitou e aos poucos ele a seduziu.

PS: gostei da capa, com o cara pegando a moça pelo cabelo (no bom sentido, claro, sem violência)


BAIXA AQUI



O Passado nos Separa - Michelle Reid - Sabrina 789



"Bastaram dois anos bancando o anjo doce e ingênuo para você tirar a sorte grande. Nada mal. Lily. Nada mal..."



Lily sabia que Kane a desprezava, considerando-a uma mercenária que se casara por dinheiro com seu irmão Daniel. E que também, dizia Kane, mantinha um caso com Mark, o melhor amigo de Daniel. As acusações não podiam ser mais infames, contudo, ela jamais diria a verdade. Até que a morte trágica de Daniel a colocou face a face com a sombria e tormentosa atração que ela e Kane sempre haviam partilhado e continuavam negando.

Temas: Falso Julgamento, Cunhados, Mocinho Ogro, Ciumentos-Possessivos e Dominadores

Comentário - CONTÉM SPOILERS

Bem no estilo da Michelle Reid, esse livro tem uma dose drama.

Kane, o mocinho, é um moreno lindo, milionário e muito muito ogro. O tipo de ogro com a boca suja, que vivia insultando a mocinha com ofensas do tipo "vagabunda". Não gostei nada disso, pra mim ele perdeu ponto. Ele morre da raiva da cunhada (mas ao mesmo tempo é a única mulher que estava nos pensamentos dele), porque há alguns anos quando o irmão dele apresentou-a à família, surgiu um atração entre a noivinha e o cunhado. Ambos se beijaram, conscientes da atração, mesmo assim Lily casou-se com Daniel.
Desde então Kane passou a odiá-la pois achava que ela estava se casando com o irmão por interesse e pensava que ela era amante de Mark, um amigo do casal.
A morte de Daniel num acidente reaproxima os cunhados. Lily ficou sob os cuidados de Kane e logo perceberam que ainda eram muito atraídos um pelo outro. Apesar da atração e do amor, ele não parava de fazer acusações e de revirar o passado e não acreditava que Mark era um simples amigo dela.
Ambos se entregam à paixão e percebem que apesar de tudo se amam. Mas o mocinho ficou chocado quando descobriu que ela era virgem. Como pode não ter consumado o casamento? E outro detalhe...ela não era amante de Mark. Então a mocinha revela o segredo bombástico: ela nunca passou de uma amiga de Daniel, ele era gay e seu grande amor era Mark. Casaram-se para manter as aparências: assim a família dele não desconfiava da opção sexual dele e ele ajudou o pai dela fazendo um empréstimo. Essa revelação cai  em cima do Kane como uma bomba, ele não queria acreditar. Então ambos entram num acordo: ela iria para Austrália e ficaria 6 meses lá com os pais; nesse tempo os dois não se veriam, nem se falariam. Após os 6 meses, se ela voltasse significava que ainda o amava e estaria disposta a ficar com ele. 
Eu sei que muitas leitoras detestaram o fato de eles ficarem tanto tempo longe um do outro, acharam desnecessário isso, mas eu acho que foi muito sensato eles se separarem por um tempo, pois o marido dela, irmão dele, tinha acabado de morrer e não seria certo ficarem juntos, seria um escândalo. Vocês teria coragem de ficar com o cunhado logo após a morte do marido? Eu não. Por isso foi bom terem dado um tempo.

O mocinho é um milionário moreno com muito sexy appeal, mas muito grosso. A mocinha é loira de cabelos bem curtos e olhos azuis.


BAIXA AQUI


segunda-feira, 8 de dezembro de 2014

Uma Prova de Amor - Michelle Reid - Paixão 11


Uma tragédia na família de Luca Salvatore faz com que ele reencontre Shannon Gilbraith, seu grande amor. Mas ela não está preparada para a tórrida atração que ainda existe entre os dois.
Luca insiste com Shannon para que se casem, mas ela sabe que ele não é movido pelo amor, e sim pelo desejo de dar um lar para sua sobrinha órfã. Além disso, o que poderá acontecer quando Luca descobrir que Shannon um dia o traiu?

TEMAS: Reencontro, Mocinho Devotado, Mocinha Determinada, Italianos, Ciumentos-Possessivos e Dominadores, Falso Julgamento

Comentários - CONTÉM SPOILERS

Já li esse livro umas 3 vezes, pra mim é sinal de que é muito bom! No geral eu gosto bastante das histórias da Michelle Reid, pois sempre há um draminha bom envolvido. E esse não é diferente.

Shannon é uma mulher muito bonita, madura, inteligente e com uma excelente carreira. Ela se apaixonou e teve um relacionamento tórrido com Luca Salvatore, cunhado da sua irmã. Os dois se amavam e o sexo era pra lá de satisfatório. Iam até casar. Mas por causa de um mal entendido, Luca a expulsou de sua vida.
Acontece que a irmã estava passando uma fase crítica no casamento, se sentindo carente e tal, e deu bola pra um cara qualquer. Eles se encontraram no apartamento onde Luca e Shannon morava, mas na hora H, Keira desiste e liga desesperada pra irmã. Shannon vai resolver a situação e despacha os dois do apê. Mas Luca chegou antes do esperado em casa e encontrou Shannon com cara de culpada, perfume de outro homem no ar, um pacote de preservativos e uma cueca de outro homem. É óbvio que ele ficou possesso, e não acreditou quando ela disse que foi sua irmã Keira quem estava lá, afinal Keira era a imagem da decência. Os dois terminam da pior forma possível.
Dois anos se passaram, quando Luca a procurou pra dizer que o irmão dele, Angelo, e a irmã dela, Keira, haviam morrido num acidente. O bebê que Keira esperava foi tirado com 7 meses.

Com essa tragédia (foi muito triste!), os dois se reaproximaram e depois da insistência do mocinho os dois se casam, pra cuidarem juntos da sobrinha.

O QUE NÃO GOSTEI

Gostei de tudo! Acho que não há nada que eu mudaria na história.
Acho que só não gostei do egoísmo da irmã dela, ela poderia ter contado pro Luca. 


O QUE GOSTEI

- Adorei a maturidade do casal. Geralmente a mocinha dá uma de heroína e esconde a verdade mesmo que perca o amor. Nesse caso Shannon disse a verdade, mas o mocinho não acreditou. 
- Esse é um dos mocinhos mais apaixonados que já vi. Durante o tempo que ficaram separados, Luca ficou "impotente", não se relacionou com nenhuma outra mulher, e quando os dois se reencontraram, no começo ele foi meio rude, mesmo assim ainda era muito apaixonado por ela. E no decorrer vai reconquistando-a aos poucos. Só pelo fato de ter pedido ela em casamento, mesmo pensando que ela o havia traído, já mostra o quanto ele a ama, pois não é fácil, principalmente pra pessoas orgulhosas, esquecerem uma traição.
- Há umas ceninhas hot, mas nada picante demais.

Sobre a aparência física, ele é como todo italiano de livrinho...alto, forte, cabelos negros, olhos negros, muito bonito e elegante. Ela é uma irlandesa ruiva, alta de olhos azuis. Ele tem 34 anos e ela 24.





BAIXA AQUI



sábado, 6 de dezembro de 2014

Guerra dos Sexos - Leslie Kelly Julia Paixões Picantes 51




Tudo o que Lacey Clark queria naquela noite era esquecer de sua monótona vida de colunista e entregar-se aos seus novos desejos e fantasias... Mas como poderia imaginar que o homem que despertara nela uma atração irresistível e que lhe oferecera uma inesquecível noite de paixão era seu inimigo número um?!
Nate Logan não acreditava na própria sorte! Afinal ele tivera o melhor sexo de sua vida com a mulher que fazia de seu trabalho um inferno! E o pior, desejava-a de novo... e de novo
!

Temas:Inimigos, Mídia, Mocinha determinada, Mocinha ousada, 

Comentários - CONTÉM SPOILERS

COMO É ÓTIMO ACHAR LIVROS BONS! UHUU Meninas, eu adoro livros com pitada de humor, geralmente os mocinhos são fofos e engraçados e as mocinhas determinadas.

Esse livro tem uma pitada de humor e uma boa dose de sensualidade. Lacey e Nate são colunistas e inimigos: ele escreve sobre o comportamento de homens e mulheres numa revista masculina e ela escreve sobre a mesma coisa numa revista feminina. Ele com visão machista e ela com visão feminista. Os dois começaram a trocar farpas através das publicações e isso provocou um boom de vendas das revistas. O dono das revistas (que é pai de Lacey, mas ninguém sabe) resolve dar uma festa e premiar os dois colunistas que impulsionaram as vendas. Lacey queria fugir da festa por dois motivos, pra não encarar Nate e porque o pai dela tornaria pública a paternidade dele.

Durante a festa, Nate e Lacey fogem pra área de lazer da casa, pois ambos detestavam festa. Detalhe: os dois nunca tinha se visto, por isso quando se encontraram fora da festa conversaram animadamente. Até que eles não aguentam mais a tensão sexual e fazem sexo selvagem em cima do cama elástica. Fiquei chokita! Geeeente, imaginem essa experiência...sexo numa cama elastica!

Mas em seguida descobrem a identidade um do outro...e ficam chocados por terem feito o melhor sexo de suas vidas com o inimigo.

Como o pai dela tinha um senso de humor duvidoso, obrigou os dois a trabalharem juntos, pra fazer experiências para comprovar suas teses sobre o comportamento feminino e masculino. Lacey fugia dele constantemente, mas ele estava determinado a conquistá-la, e não demora para os dois terem um relacionamento. O maior desafio de Nate era provar que que ele não era machista, ele havia apenas criado um 'personagem'.

Quando Lacey vai ao apartamento dele, a coisa pega fogo!! Ele ensinou um tipo de beijo que a fez chegar ao orgasmo. Uauuu era um beijo de 10 minutos, sem se tocar em nenhuma parte do corpo, só as bocas. A mocinha gozou. (nossa, essas mocinhas de romance chegam fácil ao orgasmo ¬¬). E depois ela se masturbou na frente dele QUE OUSAAADA, é claro que a autora não utilizou a palavra masturbar, ela foi bem mais sutil

- E até onde você iria, Nate? Se eu me tocasse a sua frente, tremeria de antecipação? – Lacey precisava fazer para ele as mesmas perguntas de Lady Love.Aquilo era tão excitante...
Ele se aproximou, o olhar fixo na mão dela, pousada sobre a coxa.
- Não há nada que eu gostaria mais de ver, doçura.
- Então, delicie-se, querido.
Quando Lacey,nua, gloriosa, confiante e no controle da situação alcançou o clímax, gritando de prazer, Nate percebeu uma coisa muito importante: não a deixaria ir embora. 

Bom, como sempre no final há um desentendimento, mas tudo se acerta.

Eu gostei muito desse livro, pois curto histórias modernas, com mocinhas atuais e determinadas e mocinhos normais. Eu indico esse livro, principalmente pra quem quer algo diferente de "casamento de conveniencia", "chantagem", "mocinho ogro milionário", etc.
É uma leitura rápida (tem só 70 paginas que pena!), apimentada e engraçada. Ah, não esperem nenhum drama!

BAIXA AQUI




Herança de Amor - Joleen Daniels - Sabrina 952



Um encontro inesperado... Um amor à vista!
Quando o carro de Margaret despencou no riacho gelado, ela pensou que seu fim houvesse chegado. Mas, de repente, um cowboy másculo, de mãos fortes, livrou-a da morte.

Para salvar a bela moça, Jude enfrentou o perigo e a fúria da natureza. O que ele não imaginava era que um perigo maior estava por vir: Margaret era a herdeira do rancho que pertencia a ele por direito, e viera até ali determinada a fazer valer sua vontade!

Temas: Fazendeiros e Cowboys, Falso Julgamento, Mocinho Inseguro/Retraído, Viúvos, Cicatriz

Comentário - CONTÉM SPOILERS

Achei esse livro super fofo. Um acidente de carro une duas pessoas solitárias, com traumas do passado. Jude salvou Margaret de morrer afogada num riacho e ambos passaram a noite numa cabana velha. O detalhe é que estava escuro e ambos não puderam se ver, mas a atração foi instantânea. De manhã na cama, trocaram carícias (meio dormindo ainda) e quando finalmente acordaram, levaram um susto: ele com a beleza espetacular dela e ela a com a aparência rude dele, ressaltada por uma grande cicatriz no rosto, mesmo assim ela o achou lindo e ficou ainda mais atraída. Já ele ficou intimidado com a aparência dela, pois não confiava em mulheres, principalmente nas bonitas, depois que a esposa o traiu.
Ela e o filho ficaram no rancho dele, mas logo o destino brincou com eles. Jude era filho do patrão de Maggie, o velho tinha acabado de falecer e o funeral e leitura do testamento seria naquele dia. Mas Jude odiava o pai por ter abandonado e a mãe e passou a odiar Maggie depois que o pai deixou o rancho pra ela. O rancho que ele fez prosperar, trabalhando duro.

Eu entendi que o mocinho tinha motivos pra ficar com raiva dela. Mas acho que ele exagerou, pois por causa da desconfiança os dois passaram o livro inteeeeeiro brigando, ele a tratando mal, odiando-a e amando-a ao mesmo tempo.
Depois de algum tempo, Jude vai conhecendo Maggie aos poucos e fica sabendo que sua vida foi muito sofrida. Ela cresceu em lares adotivos e por ser bonita, os "pais" ficavam assediando e as "mães" ficavam com ciúmes. Depois se casou, mas o marido era tão inseguro e ciumento que queria que ela escondesse a beleza e a sensualidade, obrigando-a  vestir roupas largas, cabelo preso, etc. Então Jude finalmente compreende que ela não tinha interesse material, queria apenas um lar para o filho.

A história do mocinho também muito muito triste. Por isso as atitudes deles se tornam até compreensíveis. No final, quando ele já não estava ligando para o testamento, havia apenas uma coisa que o impedia de ficar com ela: a insegurança em si mesmo.
 - Talvez eu possa fazê-la feliz na cama, mas você irá querer mais do que cama, muito antes do que pensa! Logo irá cair em si e ver o erro que cometeu. Vou lhe dizer como as coisas são, na verdade: com uma mulher comum eu pas­saria por comum. Mas perto da sua beleza, sou horrível. As pessoas nos olhariam onde quer que fôssemos. A bela e a fera. É como nos chamariam.
Fiquei com uma dó do coitado! Ou ele é muito feio ou ela é muito bonita mesmo hahaha. Eu gosto quando os mocinhos não são cheios de si. Enfim, Maggie é obrigada a tomar uma atitude drástica e muitro dramática pra ele ficar com ela.
O livro é fofinho, mas se o mocinho não fosse tão amargurado seria bem melhor. 



BAIXA AQUI